Atenção: torcicolo é um alerta de que a saúde do corpo não vai bem

Atualizado: Mar 30


Crédito: katemangostar
“Dormir de mau jeito” - nem sempre a culpa é do colchão... Provavelmente você já acordou com o pescoço travado e pensou que o culpado era o colchão ou o travesseiro. Mas saiba que nem sempre são eles os culpados, as dores geralmente são a ponta do iceberg sinalizando que seu corpo não está bem, se relacionam a um desequilíbrio postural e fraqueza muscular que causam a sobrecarga da cervical. A dor cervical crônica é uma das patologias mais prevalentes na atualidade, sendo responsável por 14,6% de todos os problemas de saúde musculoesquelética. Estima-se que 50% de todos os adultos experimentam algum tipo de dor no pescoço em algum momento do ano. Já trouxemos matérias abordando o tema, e sempre enfatizo que, fatores emocionais relacionados ao estresse e ansiedade, aumentam ainda mais a incidência de dores na região, afetando principalmente as mulheres. Entenda o torcicolo Estudos recentes mostram que sedentarismo, problemas posturais ou relacionados à mastigação, podem causar problemas musculares e osteoarticulares da região da cervical, causando fraqueza, rigidez e presença de trigger points, o que torna mais suscetível a episódios de dor cervical crônica e torcicolo.

O torcicolo é uma contração involuntária dos músculos do pescoço buscando proteger que algum movimento possa causar uma lesão. Geralmente ocorre ao acordar, quando o pescoço permanece muito tempo na mesma posição ou em um movimento de rotação brusca do pescoço, podendo causar uma limitação de movimentos, estiramento da musculatura e dor. É normal o torcicolo estar presente por 2 a 3 dias, o espasmo da musculatura limita a movimentação da cabeça, dificulta a irrigação sanguínea e a região pode ficar dolorida devido ao processo inflamatório local. Mas atenção! Não é normal ter torcicolos de forma recorrente, devendo sempre ser investigado e acompanhado por um profissional da área da saúde. E o que fazer quando tiver um torcicolo? É estranha a sensação de não conseguir mexer o pescoço, mas o ideal é não alongar e imobilizar a região. Nada de alongar por conta!!!

O alongamento pode causar ainda mais espasmo muscular, aumentando a dor e inflamação local. Aposte em bolsas de água quente para relaxar a musculatura e se necessário, procure o tratamento com profissionais da área da saúde. O uso de antiinflamatórios e relaxante muscular, e de recursos na Fisioterapia como laser, US, podem ajudar no processo inflamatório, mas lembre-se, o melhor remédio mesmo é a prevenção. Deixei 4 dicas para evitar os desconfortos na região da cervical! Dica 1: Faça pausas durante o trabalho Evite ficar muito tempo na mesma posição no notebook, celular ou computador. Organize a sua rotina para fazer pequenas pausas ao longo das suas tarefas. Pare para se levantar, alongar o pescoço e esticar a coluna. Realize movimentos suaves de rotação do pescoço de um lado para o outro para aumentar a circulação e diminuir desconfortos. Dica 2: Ajuste o seu travesseiro! Se o seu travesseiro estiver muito alto ou muito baixo pode comprometer as curvaturas da sua coluna e levar a alterações posturais causando dor e desconforto. Dica 3: Ajuste a altura do seu notebook no local de trabalho!

Normalmente, a tela do notebook acaba ficando baixa quando apoiada em uma mesa. Usar a tela do notebook em uma altura diferente em relação aos olhos, prejudica a postura. Uma solução é usar calços embaixo da tela do notebook ou do computador (mesmo que improvisado com livros) para garantir que seu olhar fique na mesma linha da tela e você não tenha que inclinar ou abaixar a cabeça para visualizá-lo. Dica 4: Faça atividade física!

Se o seu pescoço travou, ele deve estar sobrecarregado por algum local do corpo não estar desempenhando as suas funções adequadamente. Nosso corpo está todo conectado, então, seja por fraqueza ou inatividade física, as falhas repercutem no corpo todo. Sedentarismo e falta de atividade física geram fraqueza e desequilíbrios posturais comprometendo a região cervical. Lembre-se que todo exercício físico é benéfico quando bem feito e bem orientado! Caso tenha dores, procure por orientação adequada, cuide melhor do seu corpo e proteja sua coluna!

*Colaboração Dra. Renata Luri, fisioterapeuta doutorada pela Unifesp e Dra. Juliana Satake, fisioterapeuta especializada na Clínica La Posture.