É normal virar e torcer o tornozelo? Saiba as vantagens do exercício proprioceptivo para recuperção

Atualizado: há 7 dias


Torci o tornozelo

A ocorrência da entorse de tornozelo é bem comum e pode afetar qualquer pessoa em qualquer idade, seja ela caminhando numa calçada esburacada, ao usar um salto alto, pisar em falso, ou quando ela tropeça em um terreno mais irregular. A torção pode acontecer com o tornozelo torcido para fora ou para dentro (virar o pé para o lado externo ou interno).


Pode levar ao rompimento de ligamentos da articulação, sendo que até 20% das entorses evoluem para complicações que podem se agravar para degenerações articulares e lesões osteocondrais.


Um erro que observamos na Clínica, é que as pessoas têm a tendência em dar pouca importância ou até normalizar os episódios de entorse de tornozelo, e é aí que as complicações ocorrem! A pessoa relata que sente há algum tempo uma instabilidade ao caminhar, perda de firmeza ao pisar ou falta de controle nos movimentos com a lentificação das reações de ajuste do tornozelo. E isso só ocorre porque quando há a entorse, afetam-se os receptores proprioceptivos do tornozelo, gerando falhas na transmissão de receptores e canais de comunicação do cérebro. A falha dessa integridade no sistema não permite que o cérebro reaja adequadamente para proteger sua articulação e você fica vulnerável a se lesionar mais e mais vezes.

Quanto mais você treinar o sistema proprioceptivo e se preparar, mais rapidamente você retornará as suas capacidades funcionais com segurança e estabilidade nos movimentos:

O ideal no caso de entorse é que a reabilitação seja feita de forma mais precoce, e devidamente estruturada, pensando-se na reeducação e estabilização articular neuromuscular. Por isso, de nada adianta pensar que está recuperado da entorse por simplesmente não apresentar mais inchaço e dores, mas ainda houver falha na transmissão e integridade dessa rede proprioceptiva. Os treinamentos e exercícios proprioceptivos melhoram a capacidade do cérebro de sincronizar a atividade muscular.

Em especial, se você é atleta com histórico de entorse, esse tipo de exercício permite que os movimentos esportivos sejam feitos com mais segurança e retornando a sua melhor capacidade e eficácia do gesto usado no esporte.

O papel do treinamento proprioceptivo na entorse de tornozelo:

Para quem já torceu o tornozelo X para quem nunca se torceu o tornozelo

Cientistas comprovam que o treino proprioceptivo é benéfico tanto para quem já teve histórico de entorse de tornozelo quanto para quem nunca se lesionou! Há a comprovação de que um protocolo bem aplicado com exercícios proprioceptivos minimiza as chances de se desenvolver uma entorse de tornozelo nova e também a ocorrência de entorses de repetição para quem tem histórico.

Na prática clínica, os treinamentos proprioceptivos produzem impacto no equilíbrio e na funcionalidade.


Acesse a nossa matéria completa para o Viva Bem Uol >> A importância da propriocepção para evitar lesões no esporte