“Meu ombro parece travado e não consigo movimentar por completo" - Conheça a capsulite adesiva



O “ombro congelado“ ou capsulite adesiva é uma condição clínica que se caracteriza pela presença de dor e redução progressiva dos movimentos do ombro.


Dados sobre a capsulite adesiva:

  • Afeta cerca de 2 a 5% da população geral

  • Mulheres entre 40 e 65 anos

  • A prevalência pode chegar a 38% em pacientes com diabetes e/ou doenças da tireoide, sendo essas duas comorbidades, fatores de risco importantes para o desenvolvimento do ombro congelado

As fases da capsulite adesiva pode ser dividida em quatro fases distintas, sendo:


Fase 1 (Inflamatória): Pode durar até 3 meses. Há dor aguda à movimentação do ombro, principalmente ao realizar movimentos amplos.Também pode ser comum a dor durante o repouso e distúrbios do sono associados à condição dolorosa. Durante essa fase, é comum que o paciente seja diagnosticado como portador da síndrome do impacto do ombro, justamente por ainda não apresentar grandes perdas de movimento.

Fase 2 (Congelamento): Pode durar entre 3 a 9 meses, sendo caracterizada pela redução gradual do movimento em todas as direções e dor intensa se mantém.

Fase 3 (Ombro Congelado): Entre 9 e 15 meses, nesta fase a dor pode diminuir e a presença da restrição dos movimentos é notável. No exame atroscópico, é possível ver que a sinovite e a formação de novos vasos diminui, porém, há a presença de aderências na cápsula da articulação, o que justifica a redução da amplitude dos movimentos.

Fase 4 (Descongelamento): Entre 15 a 24 meses. É a fase em que a dor finalmente começa a cessar, porém, o sintoma de rigidez persiste.

Estudos já comprovam que apesar da melhora dentro de 24 meses, sintomas leves podem persistir por anos dependendo do comprometimento da cápsula do ombro. Pacientes com Diabetes Mellitus, a recuperação pode ser mais lenta e com resultados piores caso não haja tratamento.


Diagnóstico da capsulite adesiva

Realizado pelo médico especialista e é feito com base na história clínica e exames clínicos, lembrando que exames de imagem são realizados para descartar outras condições similares.


Tratamento da capsulite adesiva

O tratamento conservador é indicado por pelo menos, 6 meses para que possa ser investigada a necessidade de abordagem cirúrgica aberta ou artroscópica. Entre as opções de condutas e recursos fisioterapêuticos temos a terapia manual, cinesioterapia com exercícios de fortalecimento, mobilização, alongamento e a eletrotermofototerapia.


Alinhar a expectativa com o tratamento da fisioterapia: Se você tem esse diagnóstico, é preciso ter calma e cautela no tratamento. Esse ponto é essencial para que o paciente saiba que alinhar as etapas e sucesso do tratamento.

O que esperar do tratamento a curto e médio prazo: Saiba que o curso natural do ombro congelado é de redução da movimentação até os primeiros 15 meses. Isso é, no decorrer do tratamento a curto e médio prazo, não há restauração completa dos movimentos do ombro, mas sim o foco na redução da dor, melhora da função e nível de satisfação.

O que esperar do tratamento a longo prazo: O sucesso do tratamento a longo prazo ocorre com a melhora significativa dos movimentos conforme o remodelamento dos tecidos do ombro.

Procure sempre o tratamento adequado com o suporte de uma equipe especializada de fisioterapia.