top of page

Exercício físico como tratamento e prevenção da endometriose



Endometriose, a doença da mulher moderna


Antigamente pouco se falava sobre a endometriose e muito se deve ao fato de que ela era pouco diagnosticada uma vez que os seus sinais como a dor durante o ciclo menstrual era ainda considerado algo natural que a mulher deveria lidar. Claro, nem toda dor durante o ciclo menstrual é endometriose, mas se você apresenta dor intensa durante o ciclo menstrual ou fora dele, vale a pena a investigação.


Imagine a quantidade de mulheres das gerações anteriores que sofreram caladas e quantas complicações poderiam ter sido evitadas. Hoje, estima-se que 176 milhões de mulheres convivam com a endometriose.


Os sintomas da doença afetam de forma direta a qualidade de vida de mulheres, e se não tratada de forma precoce, impacta a vida social, afetiva e emocional.


Os sintomas da endometriose dependem da localização da endometriose, mas em geral são:

  • Dor durante a relação sexual (dispareunia)

  • Dor durante o ciclo menstrual (dismenorréia)

  • Síndrome do intestino irritável

  • Dor ou desconforto ao evacuar

  • Síndrome da bexiga dolorosa

  • Dor abdominal

  • Enxaqueca

  • Fadiga (51 a 87% apresentam fadiga intensa)

O tratamento em alguns casos, pode demandar cirurgia para retirada do foco endometrial e supressão hormonal. Porém, infelizmente mesmo após o procedimento, muitas mulheres continuam com os sintomas. Por isso, o foco principal quando se fala em endometriose é o manejo e mudanças no estilo de vida para controle da dor.


Benefícios dos exercícios comprovados para mulheres com endometriose


As diretrizes internacionais enfatizam a importância da atividade física como parte da abordagem terapêutica em mulheres com endometriose. Os exercícios têm capacidade de remodelar os tecidos e modificar o sistema nervoso através da liberação de substâncias antiinflamatórias e antioxidantes. Além disso, o exercício aumenta a produção de substâncias como leucócitos, cortisol e adrenalina - essas com potentes efeitos anti-inflamatórios agudos, que têm um papel protetivo contra doenças inflamatórias crônicas.


Por que mulheres com endometriose podem sofrer com dor lombar?


Grande parte das mulheres que sofrem com endometriose apresentam alterações nos tecidos musculoesqueléticos, em especial, nos grupos de músculos abdominais profundos.


Os músculos abdominais profundos compõem o core e são estruturas essenciais para o controle postural. Quando enfraquecido ou comprometido pela doença afeta o controle de toda região lombo pélvica, aumentando o ciclo de dor crônica.


Estudos comprovam que 9 semanas de exercícios terapêuticos supervisionados para a estabilização do core em mulheres diagnosticadas com endometriose e com histórico de sintomas clínicos, geram resultados positivos em todos os aspectos da saúde e qualidade de vida. Exercícios regulares com intensidade moderada tem um papel importante em ativar as vias antinociceptivas descendentes do cérebro, ou seja, as vias bloqueadoras de dor.


É necessário ressaltar que exercícios físicos integram uma abordagem médica com tratamento medicamentoso ou cirúrgico. Em caso de sintomas, sinal de alerta e investigue: Ter dores não é normal!


Procure sempre profissionais que acompanhem o seu tratamento e conduza os exercícios de acordo com as suas queixas e objetivos. Na Clínica há opções tanto como o Pilates, Personal ou a Fisioterapia Pélvica, que podem auxiliar você no seu tratamento e manejo das suas queixas e sintomas. Entre em contato com a nossa equipe!


58 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page